Aviso: O nome dos ficheiros para anexar não pode conter acentos nem cedilhas.

Construção de um gerador eólico com um alternador modificado

Avatar do Utilizador
electronick
Curioso
Curioso
Mensagens: 24
Registado: quarta ago 13, 2008 11:50 am
Localização: Santa Iria da Azóia
Contacto:

Construção de um gerador eólico com um alternador modificado

Mensagempor electronick » segunda ago 16, 2010 7:56 pm

Esta informação foi retirada de um outro forum, ainda nao efectuei esta montagem.

O alternador que eu estou usando era de 12V, do modelo mais moderno. Todos os alternadores Bosch modernos já são de 12 pólos, o que facilita. Mas eu tenho outro alternador modelo antigo de 6 pólos, que fiz o bobinamento para 12 pólos e ficou ótimo também.
A minha receita experimental para a alteração do alternador de 12V para usar com este regulador/excitador é fazer o bobinamento para 12 pólos com o triplo do número de espiras original. Para isso usa-se um fio com aproximadamente metade da bitola do original e enrolam-se as 6 bobinas de cada fase no mesmo sentido de enrolamento, assim se formam 12 pólos com 6 bobinas. Se você usar um alternador de 24V, ele não precisa necessariamente ser alterado. Mas eu tenho preferido usar os de 12V, que são mais comuns. E neste caso, sim, é necessário fazer um novo bobinamento do estator. E penso que com o alternador de 12V modificado o rendimento é melhor do que com o de 24V original.
Mas não esqueça que, mesmo usando um alternador de 24V, o circuito regulador/excitador vai regular a tensão em 14V, para carregar baterias de 12V.
Para verificar se um alternador é capaz de se auto-excitar, ligue os dois fios das escovas(que vêm do induzido), um ao terminal positivo de saída do alternador e outro à carcaça (terminal negativo) e com um motor, faça o alternador girar a uma velocidade acima de 600 RPM. Se ele causar peso ao motor é porque ocorreu a auto excitação. Para tirar a dúvida, com o motor funcionado, desligue um dos fios das escovas. Se o motor ficar leve e aumentar de velocidade, está confirmada a auto-excitação. A idéia é usar um alternador de maior corrente possível, se quiser obter uma boa potência, e se tiver umas boas pás também, é claro.
Você não deve usar necessariamente fio 19 ou 20. Deve contar quantas espiras tem em cada bobina, e escolher o fio mais grosso possível para fazer 3x mais espiras e ocupar um pouco mais de espaço que a bobina original. Por um acaso nos alternadores que tenho usado, tem dado para fazer com fio 19 ou 20 AWG.
Um alternador original de 12V x 75A vem de fábrica com aproximadamente 400g de fio. Mas como sempre o bobinamento original ainda deixa algum espaço vazio no estator, convém usar um pouco mais de fio e fazer uma bobina um pouco mais cheia. Neste caso gasta-se aproximadamente 500g de fio, ao invés de 400g. Quando dizemos "fazer novo bobinamento com o triplo do número de espiras do original" é exatamente isso que queremos dizer. Se o bobinamento original possui 12 espiras, como 12 x 3 = 36, deve-se refazer o bobinamento com 36 espiras. É claro que para isso precisaremos usar um fio mais fino. E esse fio de deve ter uma bitola 3 vezes menor? Não necessariamente. Nos bobinamentos comerciais, por questões de facilidade, sempre existe um certo desperdiço de espaço. Então podemos usar um fio com aproximadamente metade da secção do fio original. Neste caso o bobinamento ficará mais cheio, e o espaço será melhor aproveitado. Dá um pouquinho mais de trabalho, mas compensa. Usando um fio mais grosso teremos mais potência disponível. Se no final não der para por exatamente o triplo das espiras, uma diferença de até 10% menos, pouco vai fazer diferença. Logo se ao invés de 36 só conseguir por 33, não há problema algum, funciona perfeitamente.

Sobre as fases, todo alternador automotivo é trifásico, isto é possui 3 fases, logo saem 3 ou 6 fios do seu bobinamento. A maioria já vem com apenas 3 fios para fora, logo neste caso cada fio representa uma fase. Para ligar ao circuito regulador/excitador é necessário seguir o esquema. Como você vai ter que montar, vai ter que estudar o esquema, quando chegar na fase de montagem deve ficar mais fácil de entender.
Eu uso caixas plásticas próprias para montagem de circuito eletrônicos, e uso cola de silicone na tampa e no furo de saída dos fio. Isso tem funcionado muito bem. O alternador pode pegar sol e chuva à vontade, que não dá problema, mas pelo sim, pelo não, eu uso uma proteção de plástico poliéster entre o bobinamento e a carcaça, apenas para proteger um pouco do sol. O plástico poliéster é o mesmo que é usado para fazer o isolamento do estator, vendido em lojas de material para bobinamento. Sobre as pás, eu tenho usado elas feitas em chapa de alumínio com espessura de 2mm. Existe uma convenção muito usada sobre as medidas que indica que a largura de cada pá na base deve ser de 15% do comprimento e a largura na ponta deve ser de 5% do comprimento. Assim, para uma hélice com pás de 1m as medidas seriam: 1m x 0,15m x 0,05m. Como na minha região os ventos são fracos, eu uso elas com 4 pás ou mais.
O que está por trás da hélice é uma polia em v de 200mm, e no gerador estou usando uma polia de 50mm, o que dá 1:4, mas a minha estrutura mecânica da turbina permite trocar esta polia grande, e eu tenho de outras medidas onde, conforme a hélice eu escolho a que apresenta melhor rendimento. Por exemplo, tenho uma hélice de 3 pás de 70cm que uso com a relação 1:2. Ainda não cheguei a valores conclusivos mas observo que uma hélice maior produz maior torque e velocidade mais baixa, logo podemos ampliar mais, enquanto uma hélice menor apresenta maior velocidade e menor torque, logo deve usar menor ampliação.
A minha experiência tem mostrado que para uma ampliação de 1:4 você precisaria ter uma hélice de 4 pás de 1m. Com 3 pás de 60cm eu penso que, devido ao baixo torque, as perdas de ampliação serão muito grandes, mesmo para uma relação de 1:2. Então seria melhor usar a hélice direto no eixo do alternador ou aumentar o tamanho das pás.
Procure se preocupar também com a aerodiâmica das pás, para conseguir tirar delas o máximo de velocidade e torque. Elas devem ter o perfil torcido da base para a ponta, de modo que o passo na base seja de 20º a 40º e nas pontas chegue a 0º ou próximo disso. Uma ideia prática para definir as medidas das pás e conseguir um bom ganho é cortar as pás com a largura de 15% do comprimento na base e de 5% do compimento na ponta.
O número ideal de pás para qualquer condição de vento, e que está consagrado mundialmente é 3. Para condições de ventos fracos pode-se pensar em usar 4 pás. Mais do que isso acaba-se incorrendo em erro semelhante a usar muito mais espiras do que o necesário no alternador. A rotação fica muito baixa e produz pouco torque.
Uma ideia mais viável é usar um diâmetro maior. Com uma hélice de diâmetro maior terá uma perda de velocidade, mas essa perda é bem menor do que se aumentar o número de pás. E neste caso consegue varrer uma área maior e captar mais energia do vento.
clip_image001.jpg
clip_image001.jpg
Não tem Permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.

Avatar do Utilizador
electronick
Curioso
Curioso
Mensagens: 24
Registado: quarta ago 13, 2008 11:50 am
Localização: Santa Iria da Azóia
Contacto:

Construção de um gerador eólico com um alternador modificado

Mensagempor electronick » segunda ago 16, 2010 8:04 pm

Aqui estão algumas fotos
Helice3.JPG
Não tem Permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.

Avatar do Utilizador
Duzia12
Oficial
Oficial
Mensagens: 5153
Registado: quarta fev 27, 2008 8:53 pm
Localização: Braga

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor Duzia12 » segunda ago 16, 2010 8:28 pm

Qual a potência?

Avatar do Utilizador
electronick
Curioso
Curioso
Mensagens: 24
Registado: quarta ago 13, 2008 11:50 am
Localização: Santa Iria da Azóia
Contacto:

Regulador para aerogerador com alternador modificado

Mensagempor electronick » segunda ago 16, 2010 9:41 pm

Para montar o projeto, uma das primeiras coisas a fazer, mesmo antes de montar o circuito é é desmontar o alternador. Depois que estiver com ele aberto facilmente vai identificar tudo. o + é a saída de positivo do alternador (o parafuso mais grosso e que está isolado, e normalmente indicado com +B), o - é o negativo (qualquer ponto da carcaça), o AC é qualquer uma das três fases do bobinamento, e os dois últimos, como já está dito, são os fios das duas escovas (que vão para o induzido).
Sobre as fases, todo alternador automotivo é trifásico, isto é possui 3 fases, logo saem 3 ou 6 fios do seu bobinamento. A maioria já vem com apenas 3 fios para fora, logo neste caso cada fio representa uma fase. Para ligar ao circuito regulador/excitador é necessário seguir o esquema. Quando fizer o novo bobinamento do alternador vai ver que desta bobina saem 3 fios que são ligados à ponte retificadora do alternador, localizada da tampa traseira do mesmo. Escolha qualquer um dos três e solde um fio que deve ser ligado no terminal AC do regulador/excitador, pois ele vai precisar de corrente alternada.
Para testar o regulador, use duas lâmpadas automotivas e ligue conforme o esquema abaixo.
1) Gire o trimpot de 2k2 e observe que o brilho da lâmpada 1 deve aumentar e diminuir um pouco, conforme a posição deste trimpot.
2) Ligue o terminal AC ao +12V e observe que a lâmpada 2 deve acender.
3) Gire o trimpot de 20k e observe que o brilho da lâmpada 2 se altera. Se assim acontecer, está tudo ótimo. Agora falta fazer uma calibragem provisória do regulador.
clip_image001.jpg

1) Gire o trimpot de 20K para aproximadamente 70% do seu curso. Esta regulagem determina a corrente de saída que vai ser fornecida à carga. Se você têm uma turbina com torque de sobra para mover o alternador (pelo menos 4 pás de 1m), pode girar todo para a direita. Gire para menos se observar que o gerador está causando muito peso para a turbina.
2) Gire o trimpot de 2k2 para aproximadamente 50% do curso. Esta é a regulagem da tensão de saída. Na posição mínima terá aprox. 12,5V, no meio aprox. 14,5V e no máximo em torno de 18V.
3) Gire o trimpot de 100k para a posição de maior resistência. Este é o ajuste da corrente de excitação e também influencia no peso do alternador à turbina e na corrente máxima produzida. A posição ideal vai ser conforme a rotação da turbina, mas difilmente vai passar de 50% do curso.
Algumas observações:
1) O led vermelho deve acender juntamente com a lâmpada 1. Se a lâmpada acende e ele não, então está com a polaridade invertida, retire-o e solde na posição contrária a que está.
2) O led verde deve acender junto com a lâmpada 2.
3) Os dois leds servem para indicar quando está ocorrendo a excitação do alternador (vermelho) e quando está sendo enviada energia para a saída (verde).
4) O capacitor de 10uF é eletrolítico bipolar de 100V, que cabe perfeitamente no local indicado. Este que você colocou é de poliéster, por isso é muito grande, mas vai funcionar.
5) Verifique a sua fonte de alimentação, pois a lâmpada 2 só vai acender se tiver tensão acima de 13,5V. Logo com uma fonte de 12V ou bateria, não vai ser possível acendê-la.
6) Observe que quando você liga o fio AC no 12V, escuta um "tac" no relé, pois ele fecha os contatos para fornecer energia para a carga. E quando desliga este fio, o mesmo som deve ser ouvido um pouco mais baixo. Se isso não acontecer, verifique o diodo 4001 e o relé, que podem estar com defeito.
7) Não esqueça de usar um dissipador de calor entre os dois IRFZ44 próximos ao led verde. Não precisa usar material isolante entre eles.
8 ) Próximo ao canto indicado com NF no relé saem dois fios, o AC (ligado ao diodo 4001) e o EXC- (ligado ao capacitor de 10uF). Na sua foto só vejo um deles, que me parece ser o EXC-. Verifique este detalhe.
9) O fio amarelo está ligado ao +12V e o preto no GND (negativo), mas no canto inferior esquerdo da sua foto parece que está sobrando o fio azul.
10) No pino -BAT parece estar ligado um fio preto, que pode ser confundido com o negativo. Procure usar um fio cinza ou outra com que ainda não tenha sido usada. Este é o fio que vai para o negativo da bateria. O positivo da bateria vem do +12V. Quando tiver o alternador, no lugar da bateria você pode usar um lâmpada, e girando o alternador a uma rotação superior a 200RPM, ela deve acender.

Os três fios que saem da bobina do estator do alternador devem ser ligados na ponte retificadora do mesmo, que se encontra na tampa traseira, como já era usado originalmente. Assim a corrente alternada gerada pelo alternador será convertida em corrente contínua pelos diodos originais, e o terminal positivo de saída do alternador será ligado no positivo da bateria, conforme o esquema de ligação. Dessa forma a energia será enviada para a bateria.
Apenas um dos três fios do estator é ligado ao circuito diretamente, e isso é necessário apenas como um forma de sensoriar o momento de ser acionada a excitação. E mesmo este fio que vem para o circuito deve continuar ligado à ponte retificadora.
O fato de a excitação ser ligada e desligada muitas vezes não chega a ser um problema. Pelo contrário, isso é extremamente importante para se obter um bom rendimento com ventos fracos e oscilantes, e o circuito não sofre nada com isso.
1 - B+
2 - W (é um terminal de conector de encaixe que fica ao lado do B+)
3 - D+
4 - W
5 - B- (é só um furo nao tem terminal)
B+ - Saída de tensão + após rectificação
B- - Saída de tensão - após rectificação (toda a carcaça é B-)
D+ - Ligação à lampada de aviso de carga (e/ou resistência). (excitação inícial)
W - Ligação a uma fase do estactor para recolher impulsos para conta-rotações ou similar.

Na verdade, para o nosso regulador de tensão você só deve se preocupar com o B+, B- e os fios das duas escovas que vêm do induzido. O B+, como já foi visto é a saída de tensão positiva regulada e que deve ser ligado no positivo da bateria e ao regulador. O B- é o terminal de saída negativo e que vai para o GND do regulador. Para ter acesso aos fios das escovas solte o regulador de tensão original, esta caixa preta que está parafusada com um parafuso de cada lado. Retire o circuito do regulador e use apenas a carcaça com o porta escovas, soldando um fio em cada terminal.
De fato, ele esclarece uma parte do problema da auto-excitação. A parte relacionada aos geradores que estão originais, sem modificações, e foram projetados para se auto-excitarem, indicando motivos para que a auto-excitação não ocorra ou seja prejudicada. E também apresentando solução como aplicar corrente contínua ao enrolamento de armadura para recriar o magnetismo residual que pode ter sido perdido.

O nosso caso é um pouco diferente porque estamos tratando de fazer um gerador modificado com auto-excitação. E ainda mais com uma rotação bem menor do que a rotação para a qual ele foi projetado.
Mas vejam que temos aí alguma coisa importante a proveitar para o nosso projeto. Como por exemplo o efeito da carga no impedimento da excitação. É importante saber que para que a excitação ocorra sem problemas a carga deve estar desligada da saída do gerador. Somente depois que o gerador atinge a sua tensão normal de operação é que deve ser alimentada a carga, senão a carga consome a mínima corrente inicial que iria alimentar o campo e o gerador não chega a se auto-excitar.
No nosso regulador para o alternador automotivo aqui apresentado essa foi uma das primeiras providências a serem tomados quando do projeto do circuito. Vejam que esta é a função do relé de 12V no circuito. Ele possui um contato reversível e sua bobina está ligada à saída do gerador. Enquanto não existe tensão suficiente na saída do alternador para ligar a bobina do relé, o contato está comutando o terminal negativo da saída do alternador à bobina do induzido, alimentando o campo. Quando a tensão na saída ultrapassar 9V o relé fecha o contato para o lado que alimenta a carga e o circuito chaveador assume a alimentação do campo. Mas na verdade, neste ponto a carga ainda não recebe alimentação porque existe um circuito intermediário que só deixa passar alimentação para a carga após a tensão ultrapassar 13V. E se a tensão cai abaixo deste valor a carga deixa de ser alimentada. Se a tensão cai abaixo de 8V o relé é desligado e se inicia novamente o ciclo de auto-excitação.
clip_image001.jpg
clip_image001.jpg
Reg_alt.JPG
Reg_alt1.jpg
Torre_14.JPG
Torre_14_ok.JPG
Não tem Permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.

Avatar do Utilizador
electronick
Curioso
Curioso
Mensagens: 24
Registado: quarta ago 13, 2008 11:50 am
Localização: Santa Iria da Azóia
Contacto:

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor electronick » segunda ago 16, 2010 9:50 pm

A potencia depende do alternador a ser usado se fôr um de 12V 40 Amp a potencia é de 480 W se fôr de 80 Amp é de 960W.

Avatar do Utilizador
nelmindo
Team Apoio
Team Apoio
Mensagens: 4193
Registado: segunda abr 14, 2008 10:52 am
Localização: PORTO
Contacto:

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor nelmindo » segunda ago 16, 2010 11:48 pm

força aí, muito bom

Avatar do Utilizador
patinhofeio
Pré Oficial
Pré Oficial
Mensagens: 530
Registado: domingo mar 30, 2008 10:45 am
Localização: 150 Km de Lisboa

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor patinhofeio » terça ago 17, 2010 12:33 am

Boas electronick
Vamos tentar manter o fórum arrumado. Tudo o que seja referente a aerogerador, coloca aqui e apenas neste tópico. Criaste 4 tópicos sobre o mesmo assunto, o que vai entulhar o fórum e baralhar quem esteja interessado no projecto.
Os restantes tópicos serão bloqueados e proposta a remoção.
Abraço
Aprender sem pensar é tempo perdido - Confúcio
Participar neste fórum é um privilégio e não um direito
A vida é uma escola. Quem não aprende com a vida, considere-se morto

Avatar do Utilizador
Mário
Team Apoio
Team Apoio
Mensagens: 5712
Registado: sexta nov 09, 2007 10:11 pm
Localização: Lisboa

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor Mário » terça ago 17, 2010 11:25 am

Boas "electronick"

"Esta informação foi retirada de um outro forum, ainda nao efectuei esta montagem."

Deve de ser site com medidas "imperiais", dado que fazes referencia a medidas de fio não usadas cá.

Tens que saber que as ligações de 6 polos não são normais (as entradas e saidas da bobinagem).

"Mas não esqueça que, mesmo usando um alternador de 24V, o circuito regulador/excitador vai regular a tensão em 14V, para carregar baterias de 12V"

Com um alternador de 24V tens que usar regulador de 24V.

Qual a vantagem de pores as espiras multiplicadas por 3 ?

Tens que ter cuidado com as 6 pontas de saída da bobinagem do alternador, dado que tens saber quais são as entradas e as saídas da bobinagem.

Usar 3 pás tem haver com a velocidade e com a ressonância criada, porque se usares 12 pás (por ex.) é possível que a cerca de 50 metros as possas ouvir.

Na bobinagem do alternador que mencionas, fica a saber o seguinte:
Quando se usa mais espiras, é para aumentar a tensão.
Quando se usa fio mais grosso, é para baixar a tensão.

Ex. Se for de 24V e queres a 12V, tens que por o dobro da secção do fio e metade das espiras. Isto para manteres a mesma relação. Não esquecer o rotor dado que a tensão de excitação em principio é mesma, seja de 12 ou 24V.
E se o de 24Vfor de 100Amp em 12V dá 200Amp.

Tens que ter cuidado num caso de vento anormal.

Cump.
Mário
"Crença" é a aceitação de uma hipótese, na ausência de dados.
"Preconceito" é ter uma opinião que não é suportado pela preponderância dos dados.
"Conhecimento" só é encontrada através da acumulação e análise de dados .

Avatar do Utilizador
electronick
Curioso
Curioso
Mensagens: 24
Registado: quarta ago 13, 2008 11:50 am
Localização: Santa Iria da Azóia
Contacto:

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor electronick » terça ago 17, 2010 12:42 pm

Boas "electronick"

"Esta informação foi retirada de um outro forum, ainda nao efectuei esta montagem."

Deve de ser site com medidas "imperiais", dado que fazes referencia a medidas de fio não usadas cá.

Tens que saber que as ligações de 6 polos não são normais (as entradas e saidas da bobinagem).

"Mas não esqueça que, mesmo usando um alternador de 24V, o circuito regulador/excitador vai regular a tensão em 14V, para carregar baterias de 12V"

Com um alternador de 24V tens que usar regulador de 24V.

Qual a vantagem de pores as espiras multiplicadas por 3 ?

Tens que ter cuidado com as 6 pontas de saída da bobinagem do alternador, dado que tens saber quais são as entradas e as saídas da bobinagem.

Usar 3 pás tem haver com a velocidade e com a ressonância criada, porque se usares 12 pás (por ex.) é possível que a cerca de 50 metros as possas ouvir.

Na bobinagem do alternador que mencionas, fica a saber o seguinte:
Quando se usa mais espiras, é para aumentar a tensão.
Quando se usa fio mais grosso, é para baixar a tensão.

Ex. Se for de 24V e queres a 12V, tens que por o dobro da secção do fio e metade das espiras. Isto para manteres a mesma relação. Não esquecer o rotor dado que a tensão de excitação em principio é mesma, seja de 12 ou 24V.
E se o de 24Vfor de 100Amp em 12V dá 200Amp.

Tens que ter cuidado num caso de vento anormal.

Cump.
Mário


Amigo Mário, como referi, esta montagem foi retirada de um outro forum e aida não a meti em prática.
As medidas do fio para a bobinagem são americanas, mas há tabelas para as converter para as usadas por cá.
Em relação ao alternador de 24v, ter de usar um regulador de 24v ou mais precisamente 28v, então nao seria um alternador modificado.
Então é assim, como deve saber os alternadores dos carros, camioes, etc, só se excitam com bastante rotação, claro que com o vento apenas conseguimos umas 300 a 500 rotaçoes e como sabemos o alternador nao iria carregar.Porisso há duas ipóteses, ou arranjamos um alternador de 24V e por exemplo de 80 amperes, retiramos o regulador e aí vamos ligar o regulador que está aqui também neste tópico. Com a rotação é menor e ele vai auto excitar-se, com as alteraçoes já explicadas e nunca vai debitar os 24v 80 amperes, mas sim os 12 a 14v com 40amperes. Outra solução é de facto encontra um alternador de 12v 80A e retirar tembem o regulador, aí ele iria dar apenas 6v 40 amperes, porque a rotação é muito menor com o vento, daí a necessidade da outra alternativa, bobinar o estator do alternador de 12V com fio mais fino, para termos a compensação da quebra de tensao e assim o alternador de 12v que com o vento iria apenas dar 6v, passamos a ter com a bobinagems do estator 3 vezes mais de espiras e claro com metade da corrente 40 Amperes. Concluindo ou se encontra um alternador por exemplo de 24v 80A e retira-se o regulador e liga-se ao outro regulador para o qual foi concebido e teremos assim um alternador a rodar com a força do vento, a debitar 12 a 14v 40amperes, ou encontra-se um alternador de 12V 80Amperes e retira-se a bobinagem do estator, para bobinar com fio mais fino, de modo a que se consiga meter 3 vezes mais o numero de espiras de origem, ficando na mesma um alternador a girar com a força do vento de 12 a 14v 40 Amperes.Segundo a experiencia de quem já fez estas alterações, a segunda ipótese obtêm-se melhores resultados. Com já disse eu ainda não testei, mas se assim fôr com um alternador usado, eu comprei um de 24V 80 Amp por 75 euros, mais o regulador construido por nós e as pás feitas em aluminio, poderá dar um pouco de trabalho, mas decerto ficará mais económico em relação aos que por aí andam à venda no mercado, que vão dos 800 euros aos 3.000 euros dentro da gama dos 400 a 1.000W. Eu pessoalmente quando tiver tempo vou fazer esta alteraçao num alternador de 24v, porque tenho um terreno no sul do país, onde tenho um furo, tenho um gerador a gasóleo, por não ter EDP, é uma zona de bastante vento quase o ano inteiro, daí eu ir para a eólica, por ser mais rentável e mais económica do que a solar, isto numa zona onde há sempre vento, depois será obviamente necessário um inversor de 24V 220AC de onda sinosoidal pura, para converter a tensão das baterias.
Cumprimentos a todos do forum.

Avatar do Utilizador
Duzia12
Oficial
Oficial
Mensagens: 5153
Registado: quarta fev 27, 2008 8:53 pm
Localização: Braga

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor Duzia12 » terça ago 17, 2010 1:37 pm

200 A?

Avatar do Utilizador
electronick
Curioso
Curioso
Mensagens: 24
Registado: quarta ago 13, 2008 11:50 am
Localização: Santa Iria da Azóia
Contacto:

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor electronick » terça ago 17, 2010 3:04 pm

200A, não percebi bem a pergunta, se é em relação a um alternador, dá sempre, mas conforme a potencia, a dimensão das pás terão de ser maiores.

Avatar do Utilizador
Duzia12
Oficial
Oficial
Mensagens: 5153
Registado: quarta fev 27, 2008 8:53 pm
Localização: Braga

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor Duzia12 » terça ago 17, 2010 3:15 pm

O que eu penso é que para 200 A, qual a secção do estator???

Avatar do Utilizador
Mário
Team Apoio
Team Apoio
Mensagens: 5712
Registado: sexta nov 09, 2007 10:11 pm
Localização: Lisboa

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor Mário » terça ago 17, 2010 3:29 pm

Boas
Duzia12 Escreveu:O que eu penso é que para 200 A, qual a secção do estator???


Quando escrevi 200Amp, foi para tentar explicar que o alternador de 24V a 100Amp, em 12V dá 200Amp, metade da tensão o dobro da intensidade, ou a 240V 10Amp.

Não alterando o nº de polos, visto que até nos ensaios já passaram de 6 polos para 12.

Cump.
Mário
"Crença" é a aceitação de uma hipótese, na ausência de dados.
"Preconceito" é ter uma opinião que não é suportado pela preponderância dos dados.
"Conhecimento" só é encontrada através da acumulação e análise de dados .

Avatar do Utilizador
electronick
Curioso
Curioso
Mensagens: 24
Registado: quarta ago 13, 2008 11:50 am
Localização: Santa Iria da Azóia
Contacto:

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor electronick » terça ago 17, 2010 4:01 pm

Neste caso o alternador de 24V 100A a girar com pouca rotação, porque com o vento nao se consegue a mesma rotação de um motor, este alternador, como gira a menos velocidade nao consegue alcançar os 24V, por essa razão ele ao baixar a tensão para 12V tambem baixa a corrente para 50A, é só aplicar a lei de ohm. O mesmo se passa com a outra situação, alternador de 12V 100A, ao bobinar o estator para 3 vezes mais o numero de espiras, é óbvio que a secção do fio tem de ser menor, não quer dizer que seja também 3 vezes menos mas mais ou menos metade da secção original, aí vamos manter os 12V mas como a rotação tambem é menor, temos a compensação do estator ter o triplo dos enrolamentos, mas como tem uma secção menor, também como é obvio a corrente cai para metade.
Por essa razão, o alternador que referem de 200A, ao ser rebobinado, tem de ter 3 vezes mais o numero de enrolamentos, com uma secção de mais ou menos metade do enrolamento original, ficando a dar 100A, isto mais uma vez,acontece porque a rotação de qualquer alternador de carro, vem preparado de fabrica, para funcionar a muitas rotaçoes/minuto e nós o que estamos a fazer, é uma adaptação para eólica, onde a rotação é muito menor.
Aproveito para perguntar, como posso ver os anexos que vêm nos tópicos, já enviei uma MP ao administrador e não consigo ver nada.
Cumprimentos

Avatar do Utilizador
Duzia12
Oficial
Oficial
Mensagens: 5153
Registado: quarta fev 27, 2008 8:53 pm
Localização: Braga

Re: Construção de um gerador eólico com um alternador modifi

Mensagempor Duzia12 » terça ago 17, 2010 5:05 pm

Se é 12 V a 50 A são 600 W


20 AWG equivale a secção de 0,5 mm^2-----10 A


Para 50A ???

A dar 100 A??

Bobines de menor secção em paralelo




Afinal como é???


Qualquer coisa não está bem cheira-me a "esturro"



AWG.png
Não tem Permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.


Voltar para “Energias Renováveis”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante